MACRS fps – videoarte em evidência

No dia 14 de setembro, o Museu de Arte Contemporânea do RS (MACRS), em parceria com o Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi), inaugurou a exposição “MACRS fps – videoarte em evidência”, com curadoria de Bruna Martin, na Fotogaleria Virgílio Calegari, 7º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ).

Reunindo um conjunto diversificado de 13 obras audiovisuais do acervo do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MACRS), além de uma instalação impactante e duas fotografias digitais, a exposição “MACRS fps – videoarte em evidência” se divide em três eixos fundamentais: Sensorial, Sonoridade e Paisagem. Cada eixo oferece uma lente única através da qual os visitantes podem questionar e explorar o mundo apresentado diante deles: “O que você sente? O que ouve? O que vê?”. Assim, a mostra surge como um farol que revaloriza artistas, poéticas e potencialidades, explorando as complexas interseções entre tecnologia, expressão e significado, trazendo obras de Eliane Chiron, Sandra Rey, Eny Schuch, Amélia Brandelli, Rochele Zandavalli, Luciana Magno, Veronika Veit, Lizângela Torres, Ana Norogrando, Dirnei Prates, Elaine Tedesco e  Felippe Moraes.

Desde sua concepção em 2012, por meio do projeto “Idades Contemporâneas”, o acervo de videoarte do MACRS tem evoluído incessantemente, abraçando mais de 100 vídeos e contando com a contribuição de renomados artistas como Dirnei Prates, Eliane Chiron e Elaine Tedesco. Com o lema “DIFÍCIL É COMPREENDER O MUNDO CONTEMPORÂNEO / A ARTE CONTEMPORÂNEA NEM TANTO”, e tendo recebido três nomeações para o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, o projeto “Idades Contemporâneas” se desdobrou em três exposições coordenadas por Ana Zavadil, Marcelo Gobatto, Paulo Gomes e Paula Ramos. Um dos principais objetivos do projeto era adquirir obras de artistas que ainda não faziam parte da coleção do museu.

Esse objetivo foi alcançado e, devido a essa iniciativa e a outras campanhas, o acervo da instituição triplicou: de 230 obras, em 2011, passou para 766, em 2013. Isso levou à inauguração do núcleo de videoarte do MACRS. Como parte do desdobramento do projeto, a mostra “corpoimagem” ficou a cargo de apresentar a coleção, até então, formada por mais de 40 artistas que trabalham com videoarte. Por fim, o projeto “Idades Contemporâneas” envolveu a reorganização e expansão do acervo, incluindo atividades de restauração, exposição e documentação. A exposição “MACRS fps” é uma síntese deste esforço em constante renovação, destacando a fluidez e riqueza do cenário da videoarte contemporânea.

As obras presentes na exposição serão publicadas no repositório Tainacan, reforçando o compromisso da instituição em preservar e destacar o potencial criativo como um gerador de patrimônio digital. “Dessa forma, a mostra contemplará o objetivo do Programa Acervo em Foco de democratizar o acesso ao patrimônio artístico do MACRS, por meio de ações que pretendem conferir visibilidade e protagonismo aos artistas e suas respectivas produções”, menciona Adriana Boff (Diretora do MACRS)

O Programa Acervo em Foco consiste em um conjunto de ações divididas em três eixos principais: aquisição, difusão e pesquisa, educação e acessibilidade. O Projeto busca a integração de todos os setores do Museu em uma política institucional que visa otimizar as atividades realizadas pelos núcleos da instituição, focando na produção intelectual das equipes e no acervo, a fim de cumprir a missão do museu de promover, pesquisar e incentivar o pensamento e a produção contemporânea em artes visuais, de forma a preservar e proteger seu acervo para que este seja reconhecido como um patrimônio relevante para a pesquisa e para os processos acessíveis de aprendizado em arte e cultura.

O Instituto Estadual de Artes  Visuais (IEAVi), o Museu de Arte Contemporânea do RS (MACRS) e a Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) são instituições vinculadas à Secretaria de Estado da Cultura (Sedac).

 

Sobre a curadora:

Bacharela em Museologia (UFRGS), e Mestranda pelo PPGMUSPA (UFRGS). Desenvolve estudos em torno das estratégias de difusão na contemporaneidade de patrimônios digitais e suas possibilidades de indexação. Trabalhou como arte-educadora e catalogadora na Pinacoteca Aldo Locatelli (2018-2020), e fez parte do Setor de Acervo do MACRS, realizando pesquisas extrínsecas sobre as obras de arte contemporânea do museu para a plataforma Tainacan (2021-2023). No período de 2022 a 2023, integrou, a linha de pesquisa “Viagens inusitadas: percurso de obras século XIX do acervo da Sociedade Polônia” do Sépia UFRGS/CNPq, onde também atuou como bolsista de extensão (PROREXT – UFRGS). Atualmente trabalha como Coordenadora do Setor de Acervo Artístico da Fundação Vera Chaves Barcellos. 

_____________________________________________________________________

SERVIÇO

 

Abertura da Exposição MACRS fps: vídeoarte em evidência

Data: 14 de setembro, às 18h

Local: Fotogaleria Virgílio Calegari, 7º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) – Rua dos Andradas, 736 – Centro Histórico – Porto Alegre/RS

Visitação: até 12 de novembro, de terça-feira a domingo, das 10h às 19h.

error: O conteúdo é protegido.